Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ancaje - Vida Saudável

... aqui vou registando diariamente, detalhes da minha reeducação alimentar com base Crudivegana. Nesta minha nova forma de viver aprendo a comer, a valorizar-me, a dar valor ao realmente importa, a amar mais e a viver em plenitude.

... aqui vou registando diariamente, detalhes da minha reeducação alimentar com base Crudivegana. Nesta minha nova forma de viver aprendo a comer, a valorizar-me, a dar valor ao realmente importa, a amar mais e a viver em plenitude.

Ancaje - Vida Saudável

03
Jul14

Cintura de vespa... o desejo de quase todas as mulheres!


Ancaje

 

 

Uma das partes do corpo que mais preocupa as mulheres é o abdómen. Todas queremos ter uma cinturinha fina e sexy, isso é um facto. Uma cintura fina e estreita acaba sempre por valorizar as formas femininas e realça o peito, logo fará com que tenhamos um aspecto bonito e atraente.

A maioria das pessoas associa uma barriga plana aos abdominais tradicionais e mesmo os isométricos ou pranchas, mas será assim?


 

O nosso períneo (a base do abdómen) é frágil. É constituído por músculos, tecidos e fibras que seguram a vesícula, a vagina, o útero e o reto. Ele assume o peso dos órgãos abdominais e é particularmente maltratado durante a vida principalmente após o parto. Ele dilata-se também quando a pressão aumenta na barriga, quando você tosse, espirra ou até quando vai à casa de banho. Mesmo o desporto não é inocente nesta história, especialmente em situações de choques, de bloqueios respiratórios e maus exercícios abdominais! O preço a pagar: a perda de urina, descida de órgãos… irónico para todas aquelas que simplesmente queriam preservar sua saúde, condição física e desenvolvimento pessoal!

 

 

Por todos estes motivos e mais alguns que descrevo mais abaixo, há algum tempo que incluo nos meus exercícios e treinos, uns abdominais diferentes...  Os abdominais hipopressivos!

 

 

O que são abdominais hipopressivos?

É uma técnica de exercício abdominal onde os músculos são contraídos num movimento através da respiração, envolvendo o diafragma e também os músculos peitorais. A técnica é muito eficaz para melhorar as barrigas descaídas, flácidas e salientes,, combater a incontinência urinária e a dor nas costas.

 

 

 

Como fazer os abdominais hipopressivos?

Afastem os ombros da bacia, alongando a coluna e reduzindo as curvas, sobretudo a curvatura lombar. Comecem por respirar livremente, de boca aberta. O diafragma expulsa o ar dos pulmões ao subir e aumenta, assim, o volume da cavidade abdominal. De seguida, iniciem a contração dos abdominais inferiores e do períneo. A porção muscular que tem abaixo do umbigo é o músculo transverso superficial do períneo (músculo que rodeia o abdómen). Apertem o abdominal de baixo para cima como se estivessem a espremer a pasta de dentes e contraiam simultaneamente o períneo (imaginem a contração que faz quando estão aflitas para urinar).

 

 

Ver vídeo: http://sicmulher.sapo.pt/programas/mais-mulher/2013/03/21/metodo-abdominais-hipopressivos

 

 

Efectividade dos exercícios hipopressivos, segundo investigações científicas:

1. Redução do perímetro da cintura em cerca de 8%

2. Melhora da postura. Num mês diminui-se lordoses lombares (p=99,9%), cervicais (p=99,8%) e hipercifoses dorsais (p=99,5%)

3. Aumento do tónus do pavimento pélvico e da faixa abdominal em 58%

4. Incremento da força do pavimento pélvico em cerca de 20%

5. Melhora a resistência em 65%

6. Aumenta a força explosiva e a capacidade anaeróbia ao elevar o metabolismo em 15%

7. Melhora as prestações sexuais em mulheres e homens pelo incremento da vascularização no pavimento pélvico.

8. Previne a incontinência urinária

9. Induz uma correcta distribuição das pressões abdominais

10. Evita prolapsos

 

 

Benefícios terapêuticos dos exercícios hipopressivos:

  • Tonificação do pavimento pélvico (sobretudo em mulheres);
  • Redução significativa da cintura;
  • Tonificação da faixa abdominal;
  • Melhoria na distribuição da pressão abdominal durante o esforço;
  • Prevenção de lombalgias funcionais;
  • Prevenção de hérnias discais lombares;
  • Prevenção de hérnias vaginais;
  • Prevenção de hérnias abdominais, crurais e inguinais;
  • Melhoria na vascularização dos membros inferiores e pélvis;
  • Melhor mobilização metabólica;
  • Melhoria da sensibilidade sexual (sobretudo em mulheres);

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D