Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ancaje - Vida Saudável

... aqui vou registando diariamente, detalhes da minha reeducação alimentar com base Crudivegana. Nesta minha nova forma de viver aprendo a comer, a valorizar-me, a dar valor ao realmente importa, a amar mais e a viver em plenitude.

... aqui vou registando diariamente, detalhes da minha reeducação alimentar com base Crudivegana. Nesta minha nova forma de viver aprendo a comer, a valorizar-me, a dar valor ao realmente importa, a amar mais e a viver em plenitude.

Ancaje - Vida Saudável

21
Abr17

As minhas Dicas para a Perda de Peso, Perda de Massa Gorda e Contra a Flacidez


Ancaje

 

Robichek_DNA-810x439.jpg

 

Há factores chave numa perda de peso. Já os descobri, testei e comprovei e portanto estou pronta para partilhar tudo com vocês.
 
 
Qualquer pessoa para perder peso deve:
 
- Dormir bem. Entre 8-9h por noite, seria o ideal;
- Hidratar-se convenientemente. Beber entre 2-2,5l de água mineral por dia;
- Reduzir drasticamente o consumo de óleos, azeites e fontes concentradas de gordura. Se houverem problemas de saúde então, é para cortar com todas as fontes de gordura por 15 dias e depois consumir apenas abacate 2-3x por semana, até o ou os problemas estarem resolvidos;
- Ter pensamentos positivos. Desta forma, conseguiremos fazer boas escolhas alimentares;
- Jantar algo leve, até às 20h00 e não voltar a comer até de manhã. Algo como uma salada generosa (tudo cru), fruta ácida ou sub-ácida, 1l de sumo de vegetais ou uma sopa;
- Sempre que se tiver apetite, beber primeiro 1-2 copos de água, esperar 5 minutos e se a fome persistir, então comer algo;
- Praticar cardio e/ou musculação pelo menos 3x por semana 45-50 minutos.
 
 
 
Se o problema forem as gorduras localizadas como no as que encontramos no abdómen, coxas, celulite, etc, além do acima referido devemos também:
 
- Fazer boas combinações alimentares. Não misturar na mesma refeição gorduras e hidratos;
- Nunca cozinhar em gorduras. De nenhum tipo mesmo. Devemos cozer de preferência a vapor, grelhar ou assar sem gorduras nenhumas;
- Fazer refeições mais pequenas, mais vezes ao dia. Entre 5-8 refeições diárias;
- Fazer pelo menos 2 refeições ao dia só de fruta. Evitar misturar mais de 3 tipos de fruta na mesma refeição;
- Temperar as saladas sem gordura, com a exceção do abacate e caso não hajam nenhuns problemas de saúde, poderão também ser adicionadas sementes ou frutos secos. As nozes deverão ser demolhadas em água pelos menos 6-8h antes de as consumirmos;
- Beber diariamente sumo de toranja natural;
- Consumir alimentos termogénicos em todas as refeições. Exemplos: canela, pimenta caiena, gengibre...;
- Praticar exercícios cardio 4-5x por semana, em jejum e durante 45-50 minutos.
 
 
Para problemas com a flacidez, devemos cumprir todos os pontos acima referidos, mais:
 
- Praticar 4-5x por semana exercícios de cardio e localizados, intercalando-os entre si. Exemplo: 2ª Feira treinamos pernas, 3ª Feira praticamos 50 minutos de cardio em jejum, 4ª Feira treinamos braços, 5ª Feira cardio em jejum e 6ª Feira exercícios para todo o corpo;
- Fazer diariamente pranchas. Tentar dia após dia, aguentar mais tempo. Este é um excelente exercício para tonificar o corpo todo;
- Fazer todos os dias saltos à corda. Podem começar por 50 saltos e vão aumentando 10 saltos a cada dia;
18
Abr17

Como iniciar uma Alimentação Natural e Vegan


Ancaje

DSC_4540.JPG

 

O novo Plano que está para ser lançado brevemente, terá como mote a iniciação numa alimentação mais natural, intuitiva e vegan. Não há outro tipo de alimentação mais natural para a morfologia do nosso corpo e que mais saúde e energia nos aporta.

Quem não deseja ter um corpo harmonioso com o peso certo sem qualquer dificuldade, sem sequer contar calorias ou porções de comida?

Desde que me conheço, mesmo ainda na fase de criança, eu já fazia dietas. Nunca fui sequer gordinha, mas exigiam-me quase a perfeição a nível do corpo. Não é que eu o conseguisse, pois com tanta exigência e tanta crítica face a mim, acaba por refugiar-me um pouco nos doces como algo que me dava algum conforto ao fim do dia. Sempre tive alguma celulite, alguma gordurinha na barriga, as coxas um bocadinho mais cheias do que eu gostaria... mas nunca tive excesso de peso. No entanto, como tenho uma estrutura fina e leve, mesmo que 8-10kg a mais, notam-se muito no meu corpo e fico bastante "deformada". Com isso, sempre vivi em dietas, ou restrições alimentares, porque dieta dieta só fiz uma e está descrita aqui no blog: A dieta dos 31 dias! Aprendi muita coisa, emagreci, mas fiquei com o metabolismo muito muito desregulado, quase como que presa à dieta senão engordava num ápice!

Com a minha mudança radical de alimentação (deixando-me de dietas hiper-proteicas) o meu metabolismo voltou a regular e melhor ainda, a ficar mais rápido do que alguma vez tinha sido em toda a minha vida. Ainda para mais, desde os meus 13-14 anos que sofro muito de problemas no estômago, pelo que tinha digestões de 24h por vezes. Pois bem, ainda que esses problemas fossem diagnosticados como crónicos, posso garantir-vos que tenho digestões hiper rápidas e que nunca nunca o meu sistema digestivo funcionou tão bem! Chego a ir 4-5x ao wc por dia e o meu intestino está mais rápido que nunca. As dietas hiper-proteícas dão cabo do nosso intestino, no sentido que os produtos de origem animal que se incentiva a consumir nestas dietas, permanecem muito tempo no intestino, pois são de difícil digestão, uma vez que não são adequados sequer para o ser humano. Como sabemos, a nossa saúde começa pelo intestino. Um intestino congestionado, difícil de trabalhar, que incha com frequência é uma fonte de material em putrefação e de bactérias, que ao não serem expelidas com rapidez do intestino, são reabsorvidas pelas paredes do intestino e depois, do nada... aparecem doenças graves. Nunca é do nada.

 

Por isso, meus amores, muito muito brevemente, venho anunciar-vos um Plano feito com muito amor, para vos ajudar a todas a darem os primeiros passos rumo a uma alimentação mais limpa, natural e vegana! Experimentem a vossa melhor versão! Aquela que nunca sentiram antes. Sabem aquelas pessoas que se sente à distância a sua boa energia, a sua luz e vitalidade? Pois podem muito bem ser vocês mesmas! É só darem o primeiro passo e com certeza nunca mais quereréis regredir!

 

Até breve, com novidades muito boas!

16
Abr17

A importância da Alimentação


Ancaje

03 (3).jpg

 

Através da nossa alimentação, nutrimos as nossas células, obtemos energia, o nosso sistema digestivo funciona, stressamos ou não, andamos ansiosos ou podemos evitar-lo, renovamos o nosso aspecto ou envelhemos prematuramente, etc, etc, etc...

A cada período médio de 90 dias, as nossas células renovam-se e dão lugar a outras. Isto é um poder absolutamente fantástico que o corpo nos dá. Por muitos anos de asneiras que tenhamos feito a nível alimentar, estamos sempre a tempo de inverter o rumo das coisas. O nosso peso, o aspecto da nossa pele, a nossa energia, as olheiras, as imperfeições na pele, as dores aqui e ali, as alergias, as indisposições, as dores de cabeça chatas e persistentes, tudo isto pode ser melhorado com a nossa alimentação.

Cada vez que metemos um alimento na boca, esse alimento vai interferir directamente no nosso aspecto, na nossa pele, na nossa energia, no nosso envelhecimento ou no prolongamento da nossa juventude, no nosso peso, no nosso bem-estar, até poderá interferir directamente com o stress ou a ansiedade que podemos sofrer no dia a dia.

Eu era uma pessoal extremamente ansiosa. Mas extremamente mesmo. Tinha até ataques de ansiedade onde pensava que ia morrer. Graças à minha mudança alimentar, tudo isso faz parte do passado e as mudanças são notórias logo ao fim de 2-3 dias.

Tudo o que sentimos, as doenças que sofremos, o nosso aspecto, o nosso peso, tudo isto está nas nossas mãos. Não são casualidades o que nos acontece. Nunca é. Somos responsáveis por tudo e poucos sabem disso, ou quando se apercebem por vezes já não vão a tempo de prevenir e já precisam é de remediar algo grave, como uma doença.

Vamos reflectir bem sobre isto. Vamos ter cuidado com que alimentos queremos nutrir o nosso templo mais sagrado, o nosso corpo e na forma como queremos prolongar a nossa jovialidade, o nosso bem-estar e a nossa vida!

 

05
Abr17

Vegetarianismo


Ancaje

02 (3).jpg

 

Mais um dia de exercício físico cumprido! Estou orgulhosa :) O que é certo é que colocar apenas a meta de fazer algum exercício todos os dias, não é tão desmotivador como colocar uma meta de 1h por dia, nem que seja apenas 3x por semana. Assim, pouco a pouco, até faço bem mais exercício do que se treinasse 1h 3x porque a cada momento livre, aproveito para treinar mais um pouco e como acabo por não desistir, dá bem melhor resultado desta forma.

 

Relativamente ao título do post, como sabem, desde há quase 4 anos dei os primeiros passos no vegetarianismo. Ser vegetariana não é difícil, nada mesmo. No entanto, não é por se ser vegetariana que passamos logo a ser mais saudáveis, ter mais energia ou a ter peso certo sem problemas. De todo. Podemos muito bem ser vegetarianos e comer uma catrefada de coisas ruins para a nossa saúde e para o nosso peso. Podemos beber refrigerantes, comer batatas fritas, molhos calóricos, gorduras, alimentos processados e açucarados, etc...

 

Então qual a fórmula de sermos vegetarianos ou vegan e sermos saudáveis, termos imensa energia, mantermo-nos com uma aparência jovem e luminosa, termos peso certo sem dificuldade e estarmos sempre no nosso melhor?

A melhor maneira para alcançarmos tudo isto quando passamos para uma alimentação vegetariana ou vegan é comermos imensa fruta madura, imensos vegetais crus, alimentos integrais, frutos secos, algas, sementes, plantas aromáticas e superalimentos, mantendo uma alimentação o mais crua e simples possível e baixa em gorduras!

 

Recheiem a vossa cozinha de cor e alimentos vivos! Assim será muito fácil manter uma boa alimentação o tempo todo!

 

03
Abr17

Um dia de cada vez


Ancaje

 

 

Hoje o dia correu super bem. Esteve um calor delicioso, fiz a minha saudação ao sol mal acordei, bebi a minha água milagrosa, fiz uns exercícios, tomei o pequeno-almoço e comecei a trabalhar.

Foi um dia muito produtivo quanto a trabalho e a energia estava a mil. Tudo graças à fruta que fui ingerindo à medida que sentia apetite!

Quem precisa de dar um abanão nuns quilitos extra e encher-se de energia de uma vez?

Vamos a um novo programa? Estão interessadas em que prepare um programa infalível para um corpo Fiu-fiuuuu? :)

 

Esta semana mostro-vos a diferença do meu corpo com as dicas que partilharei neste novo programa! não percam, fiquem por aqui!

02
Abr17

3 de Abril 2017


Ancaje

12366433_10206217528692109_2281754154654744113_n.j

 

 

Nova etapa começa na minha vida!

Perdi 12kg nos últimos 12 meses. Estou como sempre quis. Agora começo a etapa activa na minha vida. O objectivo é treinar todos os dias, nem que seja fazer 100 saltos à corda ou 50 agachamentos. Mexer é a minha missão e tonificar e fortalecer o meu objectivo!

A par desta minha nova vertente activa a nivel físico, quero fazer a desintoxicações mais frequentes e continuar com a minha limpeza ao fígado e vesícula que faço de 3 em 3 meses. Devo fazer a minha 3ª limpeza na próxima semana.

 

Como sempre, vou contar-vos tudo sobre estas experiências e relatar-vos sempre os resultados. Fiquem por aí que este blog será regularmente actualizado com novidades!

02
Abr17

5 Razões para não comerem frango


Ancaje

11062424_901598449932299_1782976882287790002_n.jpg

 

1 – As galinhas são alimentadas com antibióticos. E tudo o que elas comem nós comemos ao comer frango o que nos torna cada vez mais resistentes aos nossos anti-bióticos quando os necessitamos.

 

2 – 90% das galinhas têm e-coli ao serem mortas para consumo, o que torna essa carne bastante perigosa para a nossa saúde já que nos poderá provocar infecções gastrointestinais sérias.

 

3 – Os produtores de carne alimentam as galinhas (e outros animais) com ingredientes calmantes presentes em medicamentos anti-depressivos bastante fortes.

 

4 – O consumo de carne seja branca ou vermelha, aumenta a acidez no nosso corpo e com isso aumentamos a probabilidade de desenvolvermos alguma doença. Começamos a sentir mal-estar com o consumo de carnes como dores de cabeça, enxaquecas, cansaço, constipações e gripes. Com o consumo continuado de alimentos de origem animal, temos uma tendência enorme de vir a sofrer doenças mais graves como cancro, hipertensão, leucemia...

 

5 - As galinhas são seres vivos e merecem serem respeitadas como tal.

10
Jan17

“O que posso tomar para eliminar______?”


Ancaje

10559693_10152558112149400_8269673819638284712_n.j

 

 

"Perco a conta das dezenas de e-mails e mensagens que recebo por dia com a  pergunta: “O que posso tomar para eliminar______?” Síndrome do cólon irritável, Doença de Crohn, sinusite, rinite, fibróides, miomas no útero, quistos nos ovários, problemas do sistema nervoso, diabetes Tipo 2, excesso de peso e obesidade, fibromialgia, artrite reumatóide, infecções urinárias, queda de cabelo e desequilíbrios hormonais, problemas dentários e de visão – a lista realmente não tem fim! Há cerca de meia dúzia de ideias centrais que são a base da Naturopatia e que eu tenho repetido de forma contínua ao longo dos últimos anos, mas apesar de tudo os e-mails cuja pergunta central é “o que tomo para eliminar a condição x?” continuam a chover. Isto significa que a mensagem ainda não foi bem transmitida. Por isso mesmo, hoje vou repetir a ideia mais importante que qualquer pessoa precisa de ter presente quando o assunto é regeneração e cura. A coisa que tenho estado a repetir anos a fio é infelizmente a mesma que as pessoas não querem ouvir e assimilar:

 

A PERGUNTA CERTA NÃO É O QUE PRECISAMOS DE TOMAR PARA ELIMINAR UMA DETERMINADA CONDIÇÃO, MAS SIM, O QUE PRECISAMOS DE DEIXAR DE FAZER PARA NOS LIVRAR DO PROBLEMA.

 

Precisa de ficar mesmo bem claro que perante a existência de uma das condições acima mencionadas (ou de qualquer outro problema de saúde), não existe nenhuma planta, nenhuma água mágica, nenhum comprimido natural, nenhum pó, nenhum superalimento ou poção miraculosa que por si só nos livrem do problema, se simultaneamente não deixarmos de fazer o que criou o problema em primeiro lugar! Não é por acaso que uma metáfora frequentemente usada em livros e manuais sobre veganismo e naturopatia é a seguinte: Vamos imaginar que temos uma casa que está a arder. Sim, com certeza que mandar uns baldes de água poderá ajudar a apagar o fogo! Mas nenhuma quantidade de água vai apagar o fogo de forma permanente se continuamos repetidamente a espalhar gasolina e a incendiar tudo! É precisamente o que as pessoas tentam fazer ao procurar soluções naturais e continuar a abrir excepções na alimentação! O pão, as massas, os queijos, leites e outros produtos animais, os bolos, o açúcar refinado, as gorduras cozinhadas, o álcool, o tabaco, o stress, o sedentarismo, a falta de descanso, etc. são essa gasolina que continua a manter tudo a arder! A não ser que se elimine de vez o comportamento nocivo, mais nada vai eliminá-lo – não interessa o quão inovador, caro e eficaz possa ser o produto em questão! Todas estas doenças são apenas sintomas, nada mais do que isso. Sintomas de um corpo obstruído e tóxico, que precisa de voltar a uma alimentação, eliminação, funcionamento e estado normal. Ninguém “apanha” diabetes, doenças cardiovasculares, cancros, obesidade ou problemas digestivos dos outros – são condições que nós próprios criamos devido a forma como vivemos, como comemos, como pensamos e sentimos. Estes problemas são o resultado daquilo que temos vindo a escolher continuamente para nos alimentar, para beber, para respirar, para colocar por cima da nossa pele, para pensar e para guardar no nosso coração. Se queremos um resultado diferente, temos que parar de comer e de fazer o que cria o problema e manter essa mudança de forma permanente. Não se trata de “comi tudo cru durante uma semana, mas no fim de semana vieram os meus pais e lá comi um bocadinho de tudo. Não faz mal, pois não?”. Esta inconsistência  Não se trata de comprar o que há de bom e de melhor nas lojas de produtos naturais, mas paralelamente continuar a consumir fritos, pão com queijo e peixe várias vezes por semana, esperando que os produtos façam algum milagre. O que vamos tomar é o último passo que precisamos de dar – só depois ou paralelamente com a mudança consistente na alimentação e estilo de vida! Ou seja, arriscando-me a tornar este diário extremamente repetitivo, volto a repetir que se não deixarmos de fazer de forma definitiva o que causa o problema, de nada vai adiantar o que vamos tomar e que alimentos específicos vamos incluir.

 

Que ordem seguir se queremos melhorar?

Primeiro, precisamos de parar de adicionar as coisas más no nosso organismo – este é o critério mais básico para poder começar a esperar que algum tipo de melhoria apareça. Se eliminamos apenas algumas coisas más, não é realista esperar quetodos os problemas desapareçam.

Depois de eliminar todos os alimentos e comportamentos que contribuem para o nosso problema, precisamos de dar uma boa limpeza a esse corpo – tal como faríamos com uma casa em plenas obras – desentupir os canos, retirar a ferrugem e o bolor, levar o lixo e só depois começar a pintar e a trazer as coisas novas lá para dentro. Certo? Por muito boa que seja a nova pintura e a mobília topo de gama, se pusermos isso numa casa suja, cheia de tralhas e em degradação, vamos continuar a ter uma casa suja, cheia de tralhas e em degradação, que simplesmente ficou ainda mais cheia do que antigamente!

 

Primeiro temos que saber o que nos faz mal. Depois temos que parar de fazer o que nos faz mal. A seguir limpamos toda a confusão e obstrução criadas. Só depois disso trazemos as coisas boas. E só no fim é que adicionamos os pormenores e extras, que tornam tudo mais bonito e aceleram os processos de regeneração e cura – como é o caso das plantas, de alguns superalimentos e produtos específicos. Eles são importantes e podem ajudar muito, mas nunca são o primeiro passo a dar. Enquanto estamos a avançar e a recuar repetidamente, nunca podemos esperar que os produtos extra nos resolvam os problemas. O ser humano adora “esticar a corda” e ver até quando consegue viver com os seus vícios – é um facto. A questão aqui é que podemos continuar a desvalorizar os problemas e a viver em negação. Estamos no nosso direito de fechar os olhos e continuar a enganar-nos. Podemos até conseguir enganar os outros, se nos empenharmos mesmo nisso. Mas uma coisa é certa: não conseguimos enganar a natureza. Enquanto estivermos a abrir excepções na alimentação numa altura em que já lidamos com problemas de saúde, dificilmente vamos livrar-nos de forma permanente desses problemas de saúde. Simplesmente não acontece. Portanto, enquanto continuamos a atirar gasolina para cima do incêndio, não vale mesmo a pena perguntar se apagamos o fogo com água de pH 7 ou 9.00 – não faz sentido nenhum. Primeiro garantir a base – os pormenores vêm a seguir.

 

“Mas eu já estou a comer relativamente bem há 2 meses” – dizem algumas pessoas, incrédulas. “Não seria de esperar estar a melhorar por esta altura?” Acontece que muita gente recusa a perceber que a grande maioria de problemas de saúde não são mais do que o resultado de anos de más decisões alimentares e de anos de comportamentos nocivos. Perante este cenário, até que ponto é realista esperar que os problemas desapareçam em 1-2 meses? Aqui espero que ninguém me interprete mal – o nosso corpo é deveras poderoso e por vezes faz autênticos milagres em tempo recorde! Eu própria eliminei a anemia crónica que já tinha há 3 anos e meio (bem como os problemas de défices de ferro de toda uma vida) em apenas 2 meses de alimentação 100% crua! Contudo, de nada adianta ficar impacientes, de cronómetro na mão – isso só cria pressão, ansiedade, stress e dificulta o processo. Basta fazer a nossa parte e esperar pacientemente.

 

Muita gente pergunta: “mas e quando os problemas aparecem ainda em bebés? Como é que isto se justifica?”. Tal como qualquer adulto, o bebé não é mais do que o somatório dos “materiais” que o construíram. Se temos uma mãe que passou a gravidez a consumir produtos animais, lacticínios, gorduras cozinhadas, alimentos refinados e processados, cafés e depois ainda por cima a criança foi introduzida a esses alimentos na primeira infância, de que é que estará feito o organismo dessa criança? Qual seria a diferença entre essa criança e outra, que foi literalmente feita à base de fruta, vegetais, frutos secos, sementes e alimentos integrais? O que aconteceria se além da determinante da alimentação acrescentarmos um sem fim de vacinas, que essa criança recebeu nos primeiros anos de vida? Ou o facto de continuar a consumir leite, derivados (ou apenas vestígios dos mesmos) no seu dia-a-dia? Porque é que ninguém leva em consideração factores como a qualidade da água, o sedentarismo, o tempo que se passa ao ar livre, entre outros? Quando juntamos tudo isso, de repente vemos que há muito mais do que uma razão que explica na perfeição os problemas que aparecem – em bebés ou mais tarde, ao longo da vida. As pessoas muitas vezes apresentam cenários completamente descontextualizados, que fazem parecer que as doenças caem do céu, literalmente do nada, quando a verdade é sempre bem diferente, e lá no fundo, todos sabemos isso – mesmo quando custa aceitar. Há sempre razão. Há sempre explicação. Mas para compreender e mudar a situação primeiro temos que aprender o que nos faz mal e retirar essas coisas da nossa vida. Depois temos que limpar toda a confusão que nós próprios criamos no passado. E só depois, incluir as coisas boas e começar a esperar que as mudanças positivas apareçam. A fruta e vegetais crus, as plantas medicinais e remédios naturais são extremamente eficazes, desde que tenhamos dado os primeiros dois passos com sucesso! "

 

Por: Zlati Dencheva, in Diário Vitaliza

02
Jan17

Gastrite, colite e úlceras – O que são?


Ancaje

Um dos problemas de saúde de que sofria bastante e desde os meus 12 anos, vinha do sistema digestivo! Tinha diagnosticada uma gastrite crónica e já tinha passado até pela bastéria Helicobacter pylori!

Com uma alimentação saudável, natural e à base de fruta, tudo isso desapareceu! Até o que a medicina tradicional intitula por "crónico"!!!

 

Gastrite, colite e úlceras – O que são?

A gastrite é um problema agudo ou, mais frequentemente, crónico, que consiste numa inflamação da mucosa do estômago. Do ponto de vista estatístico, hoje em dia metade das pessoas que habitam este planeta sofre de gastrite.

 

A úlcera é uma ferida na mucosa do duodeno ou estômago, que se recusa a cicatrizar e periodicamente piora (muitas vezes apenas com stress, nervos e  estados emocionais negativos). Cerca de 10% da população sofre com esse mal ao longo da vida.

 

A colite e hemorróidas são alterações degenerativas e inflamatórias do cólon e ânus, que tendem para a cronicidade e periodicamente pioram ou melhoram. Praticamente cada segunda pessoa hoje em dia sofre de pelo menos um dos dois problemas, o que é no mínimo chocante.

 

Tudo isto para dizer que o tracto gastro-intestinal sofre com tanta frequência, que para muita gente o mal-estar como inchaço abdominal, gases, ardência, obstipação, etc. passam a ser vistos como algo normal. Isto só mostra que estamos de tal forma afastados da natureza, que já olhamos para a doença como um estado normal.

 

Como podemos ultrapassar tudo isto?  

Não faz sentido usar medicação para tratar sintomas como os acima mencionados, para um dia ter que lidar também com cancro – o estádio mais avançado de degeneração dos órgãos.

 

Tendo em conta a forma como vivemos hoje em dia, torna-se cada vez mais necessário e urgente implementar um sistema de alimentação natural, que deve passar a ser a alimentação do ser humano do século XXI. Ao fazer isso, normalmente conseguimos comprovar que, mudando a nossa alimentação, da gastrite, colite e úlceras não resta nada passadas umas 3 semanas. E quem diz estes três problemas, podia aplicar exactamente a mesma lógica a muitos outros, obtendo os mesmos resultados.

 

O nosso corpo muitas vezes dá todo o tipo de sinais (dos mais subtis aos mais óbvios) durante anos e por vezes até décadas. Sinais esses que muitas vezes as pessoas ignoram por completo ou suprimem com algum comprimido. Até quando, já preocupadas, vão ao médico para fazer análises, os exames muitas vezes voltam sem alterações significativas e o médico manda as pessoas para casa, deixando-as descansadas que tudo está bem com a sua saúde – mesmo que continuem a existir queixas, corpos quase esféricos, caras avermelhadas, palpitações, dorzinhas com origem desconhecida e sintomas soltos. E eis que apesar disso, as pessoas continuam a viver as mesmas vidas e a comer as mesmas coisas, até ao dia em que realmente apanham o maior susto das suas vidas.

 

02
Jan17

A origem dos problemas de saúde


Ancaje

detox-7dias-collage.jpg

 

Será que alguém se questiona porque é que os primeiros sintomas desagradáveis que temos ao chegar a este mundo em bebés são precisamente sintomas intestinais? Será que alguém se questiona porque é que os bebés pequenitos têm cólicas ou porque é que reagem frequentemente com diarréia e vómito? Ou então porque é que em adultos hoje em dia cada terceira pessoa já tem gastrite, colite ou úlceras? 

 

Enquanto se gastam rios de dinheiro para que a ciência descubra a resposta, esta sempre existiu na medicina natural: Porque o tracto gastro-intestinal é o primeiro sistema que entra em contacto com o meio através da comida que lhe fornecemos. Se uma mãe se alimenta de forma claramente inadequada, ainda durante a gravidez e posteriormente através da amamentação ela dá ao seu bebé toxinas e, por vezes, autênticos venenos. A primeira reacção de um organismo vivo é sempre eliminar essas toxinas de alguma forma. Da mesma forma, já em adultos, desenvolvemos gastrites, colites e úlceras sempre e quando continuamos a alimentar-nos de forma inadequada, ignorando as leis naturais. Aí, o nosso corpo continua a fazer exactamente o que faz o corpo de um bebé – tentar eliminar as toxinas e excesso de ácidos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D