Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

10406527_462497653886760_5431123002939673877_n.jpg

 

 

1.  Sementes de sésamo – extremamente ricas em cálcio biodisponível, que o ser humano assimila facilmente, além de serem uma boa fonte de outras vitaminas e minerais.

 

2.  Vegetais de folhas verdes (quanto mais verde escuro, melhor!) – o espinafre e os diferentes tipos de couve são ricos em cálcio e no geral, são excelentes alimentos que devemos consumir numa alimentação crudivegana.  1 chávena de chá de folhas de espinafre contém 56mg de cálcio, enquanto apenas 100g de couve contém 145g de cálcio.

 

3.  Melaço preto – trata-se de um bom substituto do açúcar branco, que pode ser usado para adoçar bolos e outras sobremesas cruas. Apenas 1 colher de sopa de melaço preto contém 172mg de cálcio. É também uma boa fonte de ferro, manganês, selénio, potássio e cobre.

 

4.  Laranjas – sim, muita gente desconhece isto, mas o cálcio que de facto absorvemos de um sumo de laranja é mais do que o que absorvemos de um copo de leite de vaca. Além disso, as laranjas têm a grande vantagem de ser simultaneamente ricas em Vitamina C, que facilita a absorção de cálcio. O ruibarbo, kiwi, tangerinas, clementinas e alperces secos também são excelentes fontes de cálcio.

 

5.  Feijão, lentilhas e outras leguminosas – no geral é raro eu recomendar estes alimentos pela simples razão que no meu dia-a-dia lido com pessoas cuja saúde não é suficientemente boa. Para quem está a lidar com problemas de saúde, o feijão e as leguminosas no geral apenas vão atrasar a recuperação e inclusivamente podem agravar o quadro, visto que são alimentos que aumentam a produção de mucosidade, isto é, são alimentos inflamatórios. Contudo, não deixam de ser uma boa opção vegan, rica em cálcio e ferro, para pessoas cujo estado de saúde é bom e equilibrado.

 

6.  Brócolo – à semelhança das laranjas, o brócolo é rico simultaneamente em cálcio e Vitamina C, que ajuda na sua absorção. Trata-se de um alimento também muito rico em ácido fólico, Vitamina A e potássio – excelente na gravidez, e na realidade, em todas as fases de vida.

 

7.  Frutos secos e sementes – Por exemplo, 100g de amêndoas cruas fornecem 266mg de cálcio. Apenas 5 tâmaras fornecem 135mg de cálcio.

 

8.  Sementes de linhaça – as sementes de linhaça devem ser moídas para poderem ser bem absorvidas e são uma excelente fonte de cálcio é ácidos gordos Ómega-3 e Ómega-6.

 

9.  Espelta – Por norma não recomendo o consumo de pão, pelas mesmas razões que não recomendo a toda a gente o consumo de leguminosas, mas dependendo do estado de saúde e objectivos de cada pessoa, o pão de espelta é uma maravilhosa alternativa ao pão normal, que vemos na maior parte dos supermercados. Felizmente, já é cada vez mais fácil de encontrar, inclusivamente nas cidades mais pequenas.

 

10.  Ervas aromáticas secas e outras plantas medicinais secas – A segurelha seca (conhecida também como satureja ou Savory, em Inglês) é talvez uma das especiarias mais típicas da Bulgária e de toda a Península Balcânica no geral. 100g de segurelha seca contêm 2132 mg de cálcio biodisponível, isto é, fácil de assimilar pelo corpo humano. Outras especiarias como o endro, o manjericão, sementes de papoila, menta, alecrim e salsa são igualmente ricas em cálcio. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

1924715_218788174980118_194937236_n.png

 

 

É preciso mesmo responder-vos a esta pergunta que está no TOP 5 das que mais me chegam diariamente? Meus amigos e minhas amigas, do fundo do coração, pesquisem, informem-se bem, procurem, explorem façam o que for preciso, mas verifiquem por vocês mesmos que nada mas mesmo nada que tenham estes alimentos, não seja possível retirar de legumes, vegetais, frutas e algas! E se falamos de proteínas, por favor, a ideia que só esses alimentos as têm está tão desactualizada como dizer que a Terra é plana! Todas as frutas e legumes têm proteínas e mais ainda se falamos de legumes de folhas verde escura ou algas. Além do mais, as proteínas de origem vegetal são completamente absorvidas e reconhecidas pelo nosso organismo, ao contrário das proteínas de origem animal que muitas vezes nem metade delas o nosso corpo consegue reter e utilizar.

 

Pelo que já não há desculpas para continuarmos a consumir alimentos de origem animal só para que "não nos falte nada"! Isto não existe! Deixei de consumir estes alimentos há uns 2 anos e foi desde aí que eliminei doenças crónicas, recuperei a minha saúde e bem-estar e ganhei toda uma nova energia maravilhosa e indescritível, que ninguém consegue sentir enquanto consome estes alimentos!

 

Experimentem... só têm a ganhar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

01-compras.jpg

 

Diariamente sou contactada por pessoas que desejam muito resolver os problemas de saúde, recuperar o peso, recuperar os níveis de energia e voltar a encontrar o equilíbrio. A questão é sempre a mesma: o que fazer e por onde começar? A resposta é simples: desintoxicação!

A desintoxicação transformou-se em moda e numa palavra que as pessoas usam por tudo e por nada: acima de tudo, para falar de produtos, de suplementos ou de programas que prometem purificar o corpo numa 1 semana. Na verdade, a desintoxicação resume-se a limpeza. Limpeza essa que o nosso corpo está programado para fazer de forma natural o tempo todo, como adoram os médicos referir, só que para que isso aconteça, tudo nele necessita estar a funcionar como deve ser. O que acontece é que a grande maioria de pessoas hoje em dia está tão intoxicada e tão obstruída a nível físico, emocional e mental, que o corpo muitas vezes demora a fazer o seu trabalho sozinho. Por isso, a desintoxicação transformou-se numa espécie de negócio, que nos tenta vender produtos. Laxantes, drenantes, chás “especiais”, sumos detox, suplementos, etc. A verdade é que a desintoxicação tem tudo a ver com o que vamos eliminar da alimentação, e pouco a ver com o que vamos acrescentar. Estamos a falar de um processo de descanso e libertação. Como é que fazemos isso e como é que desintoxicamos? Através dos nossos principais órgãos de eliminação:

- Cólon

- Pulmões

- Pele

- Rins

- Nas mulheres, a menstruação é uma 5ª via de eliminação.

Todos estes órgãos estão em permanente esforço para garantir que o ar, água, comida e outras substâncias químicas são de alguma forma purificados, processados ou eliminados do nosso sistema. Para além destes, temos também os chamados resíduos metabólicos, que são sub-produtos que resultam da respiração e do simples facto de termos células que comem, eliminam e existem. Por isso, quando alguém pergunta muito surpreendido: “Não comes quase sempre tudo cru? Então estás a desintoxicar de quê?!” – aqui está a resposta. Mesmo que não comêssemos nada, pelo simples facto de existir estaríamos a criar na mesma resíduos que precisam de ser devidamente eliminados. O nosso corpo elimina continuamente – especialmente quando está a funcionar no seu melhor. Temos triliões de células que comem e eliminam tal como nós o fazemos, e parte dos resíduos que acumulamos são isso mesmo – resíduos celulares. Por isso mesmo, a desintoxicação é um processo contínuo que dura enquanto estivermos vivos. Se as diferentes vias que temos para filtrar e eliminar estes resíduos ficarem obstruídas; se os nossos rins (que filtram o sistema linfático) ficarem obstruídos – nós também ficamos com problemas. É quando a saúde começa a diminuir e de repente começamos a notar diferentes sintomas soltos. Quando temos um meio interno em que as células ficam literalmente a nadar nos seus próprios resíduos ácidos, não é preciso esperar muito para começar a ter sintomas físicos de doença. Este é apenas o início. Passando muito tempo sob o efeito dos resíduos celulares acídicos e corrosivos, um dia as células começam a sofrer mutações e é assim que aparecem os cancros e outros problemas de saúde mais graves. Daí dizermos que qualquer problema de saúde é em primeiro lugar um problema de obstrução e de toxicidade, que precisa de ser resolvido através da desintoxicação. A doença (física ou mental) não é mais do que uma tentativa do corpo de nos mostrar que algo que precisa de ser eliminado não está a ser eliminado.

Então o que fazemos para começar a melhorar a forma como nos sentimos? Mudamos os nossos pensamentos, mudamos as nossas emoções mas, ainda antes disso, mudamos o que está dentro do nosso prato. A nossa alimentação é algo que mexe com tudo o resto e que qualquer pessoa consegue mudar, porque o que comemos depende inteiramente de nós. E quando digo mudar de alimentação, na fase de desintoxicação isto tem tudo a ver com retirar aquilo que nos faz mal, e muito pouco a ver com o que vamos incluir. Portanto, quando alguém pergunta “O que como para fazer detox?”, na verdade a pergunta deveria ser “O que devo deixar de comer para que o meu corpo comece a desintoxicar naturalmente?”.

Tudo o que não tem um rótulo e lista de ingredientes é a comida ideal para nós. A partir daí o nosso trabalho resume-se a pegar, comer e eliminar. Sumos, batidos, germinados – tudo isto são opções e formas de comer, que nos dão mais variedade e fornecem sabores mais elaborados para os paladares viciados em complexidade. Mas na verdade nada disto é obrigatório, porque tudo se resume a pegar em peças de fruta e vegetais, e comer – esta é a alimentação mais simples e mais desintoxicante, especialmente para alguém que precisa de regenerar-se, de curar algo ou de perder peso. Tudo fresco, tudo cru, tudo combinado de forma simples.

As pessoas ainda vivem com os típicos medos de “será que me vai faltar algo?”, já que em alguns casos estamos a falar de vários meses a comer tudo cru. E estas mesmas pessoas perguntam sempre: “Onde incluo as sementes de cânhamo? A linhaça? As outras proteínas?” Não as incluímos – tão simples quanto isso. O que é preciso começar a distinguir é conceitos como “comida de transição” de “comida de detox”, pois estamos a falar de duas coisas bem diferentes. As sementes cruas são excelentes alimentos para quem está a mudar a sua alimentação e não tem problemas de saúde, mas não são alimentos a ser incluídos durante uma fase de desintoxicação. Proteínas e gorduras concentradas é a última coisa que necessitamos numa fase de detox. Se queremos limpar o organismo e restaurar o seu funcionamento, o foco deve estar sempre na fruta e vegetais crus – o resto pode esperar para uma segunda fase.

Resta-me acrescentar apenas que ninguém precisa de sofrer ou de viver com dores; Os problemas têm (quase) sempre uma solução, e esta passa pelo processo de desintoxicação. Descobrir esta ideia traz uma enorme sensação de calma. Vivê-la na prática dá-nos força, energia, equilíbrio e o bem-estar que todos procuramos!   

 

 

www.vidaemestadocru.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


As batatas e o arroz engordam?

por Ancaje, em 26.10.16

12507383_1027167480683730_8628036649532471042_n.jp

 

É sem dúvida das questões que mais me colocam diariamente. Sem qualquer dúvida, uma das coisas que mais preocupa quem quer emagrecer e quase sempre, as pessoas têm 90% de certezas que a resposta será sim!

Ora bem, o que eu vos posso adiantar é que depende bastante. As batatas e o arroz em si, não engordam. Mas se fritarem as batatas, se as assarem em óleos ou azeites ou se elas forem cozidas mas no prato lhe acrescentarem azeite, aí tudo muda de figura. Assim como se fizerem um refogado de cebola e óleos para cozinharem o arroz.

Agora, se cozinharem tudo sem gorduras e no fim não acrescentarem gorduras no prato e se servirem com uma generosa salada, alguma vez estes alimentos vão engordar? Eu já estaria obesa então! Peso 48-49kg e como 80-90% de alimentos com hidratos por dia. Eles são FUNDAMENTAIS para o nosso cérebro, o nosso bem-estar e a nossa energia. Não cortem neste macronutriente nunca, é o maior erro que podem cometer para controlar o peso.

Comam bem, saudável e sempre que tiverem apetite! Cortem nas gorduras, nos açúcares industrializados, nos lácteos e nos produtos de origem animal. Se o fizerem, vão notar muitas diferenças tanto no vosso bem-estar, como na vossa energia e peso. A vossa saúde também agradecerá imenso este vosso cuidado para com o vosso corpo!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

12038506_536842616467726_8620755368282831690_n.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


E se eu criasse um canal no Youtube?

por Ancaje, em 25.10.16

Robichek_DNA-810x439.jpg

 

Tenho asssitido imenso a vários canais no youtube de diversos temas e lembrei-me que talvez pudesse também criar um canal, sobre alimentação saudável, peso, reeducação alimentar, detox, limpezas ao organismo, alimentação vegan e vegetariana, prós e contras de cada alimentação... sei lá.. tanta coisa para partilhar. Não sei, que me dizem?

Autoria e outros dados (tags, etc)

14485005_1107781122631529_7829767665855175216_n.jp

Foto tirada às 06h30 de Domingo - O Dia da Limpeza

 

Olá amigos, hoje venho contar-vos como foi o último dia de preparação para esta limpeza assim como, os seus resultados no 7º dia!

Como iniciei a preparação para a limpeza na 2ª Feira, o 6º dia calhou a um Sábado e a limpeza e expulsão dos cálculos a um Domingo, pois sabia que a limpeza ia requerer muito descanso.

No Sábado levantei-me o mais tarde que pude, para descansar ao máximo, fiz em jejum uma limpeza ao cólon com 2l de água mineral morna e de seguida, bebi um litro de sumo de maçãs.

 

14591750_1107784592631182_2079422408029296206_n.jp

 Simmm, são precisas estas maçãzinhas todas. Em 6 dias foram 12kg de maçãs!

 

Para o almoço que teria de ser ingerido até às 13h30 no máximo, o protocolo requeria que comessemos arroz branco de preferência basmati e sem qualquer gordura tal e qual como nos dias anteriores, com legumes cozidos a vapor de preferência.

 

14516407_1107781005964874_4096155125659243882_n.jp

Depois das 13h30 era necessário fazer um jejum até às 10h00 de Domingo. Água sim podiamos beber!

Pelas 18h00 de Sábado, preparei 750ml de água mineral com 4 colheres de sopa de sais de Epson, ou sulfato de magnésio. Esta quantidade teria de ser dividida em 4 copos. O 1º a ser bebido logo às 18h00.

Pelas 20h00, novo copo de água e sais e por fim, às 22h00 tive de beber 125ml de azeite virgem extra com 180ml de sumo de limão, lima, toranja ou limão + laranja. Eu fiz só com sumo de limão que deve estar à temperatura ambiente. É intragável mas com a ajuda de uma palhinha grossa lá bebi a mistela em segundos. Quem não conseguir beber tudo de uma vez, pode parar e comer uma colher de mel e continuar a beber. Esta bebida tem de ser bebida em pé. Depois temos de ir imediatamente para a cama deitar-nos e ficar sem falar 30 minutos. Devemos deitar-nos com a cabeça mais alta que o abdomen e portanto, usar 2 almofadas para dormir. Devemos dormir ou de barriga para cima ou para o lado direito, nunca para o lado esquerdo (que é para o lado que eu durmo melhor), já que as pedras estarão a descer do fígado e vesícula e podem entrar nos ductos do pancreas.

 

Depois no Domingo, pelas 06h00 devemos tomar o 3º copo de sais. Pelas 08h00 bebemos finalmente o 4º e último copo de sais. Apartir daí são esperadas a qualquer instante, várias descargas e a saída por fim dos cálculos biliares. No meu caso, a primeira vez que sairam eram 10h00 quando tinha acabado o meu jejum com um copo de sumo natural de ananás e água de côco.

 

Depois dessa primeira descarga, houveram muitas mais que duraram na verdade até Segunda-Feira à tarde com a saída efectiva de pedras biliares. Mas só fotografei até Domingo ao final da tarde.

 

14502982_1107781105964864_2889609050630513458_n.jp

14492341_1107781035964871_1507746795730807989_n.jp

14495327_1107780995964875_9160099108386090267_n.jp

 

Tive pena de não ter continuado a fotografar, mas tinha o material de colheita no 1º andar da casa e eu entretanto baixei para o quarto durante a tarde, pois estava arrasada, cansada e cheia de sono, já que com 2 almofadas não consegui dormir... logo eu que só durmo com almofadas baixinhas!!! Mas como estava a dizer, apartir do fim de tarde começaram a sair pedras do tamanho de grãos, ou seja, já maiorzinhas e continuei a expelir também bastante espuma que significa que estamos a expulsar muco biliar. Ora perfeito não é verdade?!

 

Dizem que na 2ª limpeza que se deve fazer de 1-3 meses após a primeira, começam a sair as pedras maiores que temos, portanto, eu no fim de Outubro vou repetir sem dúvida a operação, já que quero mesmo beneficiar das melhorias incríveis a nível da saúde que podemos notar, no meu caso, quero ver-me livre das enxaquecas, dores articulares e nas costas e de manchas e rugas na cara. Simmm esta limpeza rejuvenesce :)

 

A par desta limpeza baixei também 3kgs e a minha fome reduziu drasticamente, agora estou a comer menos de metade do que até 6ª Feira.

14572853_1107781139298194_3018691124449594447_n.jp

 

E pronto amigos, aqui fica o meu testemunho sobre esta minha primeira limpeza do fígado e da vesícula segundo o protocolo do Dr. Andreas Moritz. Quem estiver interessado em fazer esta limpeza também, aconselho a lerem o livro ou se tiverem alguma dúvida é só deixar aqui na caixa dos comentários!

 

14516367_1107781169298191_4803049404228848255_n.jp

 Até breve!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

figado-vesicula_calculos_thumb[1].jpg

 

PROTOCOLO DE LIMPEZA DA VESÍCULA E FÍGADO – EXPULSÃO DE CÁLCULOS

 

A limpeza que podemos fazer ao fígado e à vesícula para expulsão dos cálculos biliares, é das coisas mais importantes que podemos fazer pela nossa saúde e através da qual passamos a sentir enormes melhorias a nível de saúde.

Limpar a vesícula e fígado de todos os cálculos acumulados ajuda a restaurar a homeostase, controlar o peso e a preparar o corpo para ficar totalmente curado. É também a melhor prevenção que podemos fazer contra novas doenças que nos poderão surgir.

 

 

Causas mais comuns da formação dos cálculos biliares

 

A bílis é formada por água, muco, pigmentos biliares, sais biliares e colesterol, assim como de enzimas e bactérias benéficas. Esse líquido esverdeado é produzido por células hepáticas que o transportam por pequenos canais os quais se unem para formar canais maiores, que conectam os canais hepáticos direito e esquerdo. Esses dois canais unem-se e formam o ducto biliar comum que drena a bílis do fígado e alimenta a vesícula com a quantidade certa desse líquido para o processo digestivo.

 

Qualquer mudança na composição da bílis, afecta a solubilidade dos seus componentes e portanto provoca a formação de cálculos biliares.

Esta composição anormal da bílis pode dar-se de diferentes formas. O colesterol mantém-se normalmente em forma líquida, devido à acção solvente dos sais biliares e, certamente da disponibilidade das quantidades suficientes de água. Um aumento do colesterol na bílis vence a capacidade de dissolução dos sais biliares e, portanto promove a criação de pedras de colesterol. Por outro lado, uma diminuição na quantidade de sais biliares também conduz à formação de pedras de colesterol.

 

A ingestão insuficiente de água diminui a fluidez da bílis, fazendo com que o colesterol não possa ser dissolvido correctamente e se reconstitua em pequenas pedras que gradualmente com o tempo, se tornam pedras maiores.

 

 

Caso tenham alguns destes sintomas descritos abaixo, significa que muito provavelmente terão muitos cálculos biliares (centenas) no fígado ou vesícula, para eliminar:

 

- Falta de apetite

- Anseio por comida

- Transtornos digestivos

- Diarreia

- Prisão de ventre

- Fezes cor de argila

- Hérnia

- Flatulência

- Hemorróidas

- Dor do lado direito

- Dificuldade para respirar

- Cirrose hepática

- Hepatite

- Muitas infecções

- Colesterol alto

- Pancreatite

- Doenças cardíacas

- Transtornos cerebrais

- Úlcera duodenal

- Náuseas e vómitos

- Personalidade difícil ou mau-humor constante

- Depressão

- Impotência

- Outros problemas sexuais

- Doenças da próstata

- Desequilibro hormonais

- Transtornos menstruais ou de menopausa

- Problemas de visão

- Olhos inchados

- Problemas na pele

- Manchas de fígado, especialmente na parte anterior das mãos e do rosto

- Tonturas e desmaios

- Perda de tónus muscular

- Excesso ou perda de peso

- Olheiras

- Carácter mórbido

- Língua esbranquiçada

- Escoliose

- Gota

- Ombro rijo

- Pescoço rijo

- Asma

- Dores de cabeça ou enxaquecas

- Problemas dentários ou de gengivas

- Olhos amarelados

- Ciática

- Enrijecimento das articulações e músculos

- Ondas de frio ou calor

- Adormecimento das pernas

- Problemas de joelhos

- Osteoperose

- Obesidade

- Cansaço crónico

- Doenças nos rins

- Cancro

- Fibromialgia

- Extremidades frias

- Calor excessivo e transpiração na parte superior do corpo

- Excessiva oleosidade e queda de cabelo

- Cortes ou feridas que não param de sangrar ou não cicatrizam

- Dificuldades para dormir ou insónias

- Pesadelos

 

 

Os Resultados:

Depois do processo de preparação para a limpeza, terá várias evacuações líquidas, que inicialmente consistem acima de tudo de cálculos e resíduos de alimentos, depois simplesmente de pedras misturadas com água. A maioria dos cálculos será de cor verde-ervilha e flutuarão na sanita. As pedras serão de diferentes tonalidades de verde, podendo ser de cores brilhantes e reluzentes, como pedras preciosas. Apenas a bílis do fígado poderá provocar o tom verde.

Os cálculos vão sair de diferentes tamanhos, cores e formas.  As pedras mais claras serão mais recentes, e as escuras mais antigas. Algumas serão to tamanho de ervilhas ou ainda menores e outras de 2-3 centímetros de diâmetro. Poderá acontecer que saiam dezenas ou centenas de pedras numa só evacuação.

Poderão surgir também pedras de cor branca ou café claro. Algumas delas poderão afundar-se junto com as fezes na sanita. São pedras calcificadas eliminadas pela vesícula. Elas contêm substâncias tóxicas mais pesadas, com pequenos vestígios de colesterol. Todas as pedras verdes e amarelas serão tão tenras quanto argila devido ao sumo de maçã.

 

Também irá aperceber-se de uma camada de “cascas” brancas ou castanhas claras ou “espuma” flutuando na sanita. A espuma é composta por diminutos cristais pontiagudos de colesterol que continuando dentro de nós, poderiam danificar bastante os pequenos ductos biliares. Eliminá-los é também muito importante.

 

Faça uma estimativa dos cálculos que eliminou. Para curar definitivamente algumas doenças como dores nas costas, alergias ou outros problemas de saúde, assim como prevenir o surgimento de outras doenças, precisará eliminar TODAS as pedras em cerca de 8-12 limpezas com intervalo de 3 semanas ou 1 por mês. É importante que uma vez iniciada esta limpeza depois se faça a limpeza mesmo até ao fim, ou seja, até deixarem de sair pedras.

Logo após a 1ª limpeza, os efeitos que vai sentir serão de um bem-estar enorme, de mais energia durante todo o dia, maior clareza mental e as dores a diminuir logo significativamente.

 

 

Durante os 5 primeiros dias de preparação para esta limpeza, as minhas refeições foras estas:

Dia 1.jpg

Dia 2.jpg

Dia 3.jpg

Dia 4.jpg

Dia 5.jpg

Amanhã Sábado, será o meu 6º dia de preparação para a limpeza do fígado e da vesícula. Poderei comer e beber até às 13h30m e depois dessa hora estarei em jejum até Domingo, salvo um copo com uma mistura de azeite e limão que beberei pelas 22h00.

 

Irei actualizando as novidades, mas é suposto Domingo expulsar dezenas ou centenas de pedras como estas:

 

Capa do blog LH.png

 

transferir (1).jpg

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Detox de Melão - 3º Dia

por Ancaje, em 06.09.16

CTVX5090.jpg

 

Não sei bem como mas já finalizei o meu Detox de 3 dias. O tempo passa mesmo a voar, portanto, meninas que têm receio de fazer este detox, pensem que 3 dias voam e que se não fizerem nada por vós apenas estareis a acumular peso, toxinas, volume, gorduras... vale a pena reflectirem sobre isto. 3 dias não são nada e podem fazer tanto pelo nosso corpo e bem-estar.

 

Hoje quando me levantei, já não sentia qualquer dor de cabeça e andei super bem e enérgica todo o dia. Pesei-me ainda em jejum e estava com 49,600kg. Bemmm eu já não via os 49 na balança há quase 2 anos, portanto ando desde ontem em extase cada vez que penso que baixei novamente aos 49kg.

 

IMG_7750.JPG

Peso no início do 3º dia de detox

 

IMG_7749.JPG

Como habitual neste detox, iniciei o meu dia com 1l de água alcalina e sumo de 1 limão

 

IMG_7748.JPG

1ª refeição de melão do dia

 

IMG_7742.JPG

2ª refeição do dia

 

 

IMG_7752.JPG

3ª e última refeição do dia

 

À semelhança de ontem, hoje não parei para lanchar, ia comendo à medida que ia tendo tempo e portanto, acabei o lanche já bem tarde e não tive apetite para jantar. Aliado a isto o facto de estarem ainda temperaturas acima dos 40ºC por aqui, o meu apetite tem reduzido bastante!

 

Em relação ao detox, fica apenas a faltar verificar a pesagem de amanhã, mas correu lindamente, senti-me super bem, à excepção das dores de cabeça no 2º dia e voltarei a repetir brevemente. Já faço este detox há anos e nunca desilude!

Outra coisa importante que notei hoje, foi que estava bem bem mais seca de corpo, ou seja, sentia-me com muito menos volume mesmo, a barriga estava super magra e lisa e o bem-estar que sentia era geral.

Devido a que tenha dormido mal a noite anterior, hoje sinto-me com mais sono e se conseguir dormir bem toda a noite, é provável que amanhã o peso ainda desça mais qualquer coisa, embora este factor não seja de forma alguma uma prioridade para mim neste momento.

 

Em breve vou iniciar os treinos e os objectivos que quero alcançar serão desafiantes, mas tenho a certeza que os vou alcançar e posso partilhar convosco todas as dicas que vou seguir para os alcançar. Os principais objectivos dos meus treinos serão secar a barriga completamente, trabalhar glúteos e ter pernas bem definidas e tonificadas. Estes objectivos são para serem alcançados até ao fim do ano e no máximo inicio os treinos em Outubro.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Detox de Melão - 2º Dia

por Ancaje, em 06.09.16

14212187_1084136908329284_3718646196742733378_n.jp

 

Na manhã do 2º dia do detox, levantei-me com uma ligeira dor de cabeça. O normal quando se faz um detox bem feito. Por vezes as pessoas ouvem falar de detox e imaginam sensações maravilhosas e apenas coisas boas! Lamento desiludir-vos se fazem parte deste grupo de pessoas. Um detox quando bem feito, traz-nos dores e coisas por vezes bastante desagradáveis mediante o nosso estado actual e o tipo de detox que estejamos a fazer. Dos sintomas mais comuns, temos as dores de cabeça que podem ser mais ou menos fortes, mas que quase toda a gente as sente.

 

Após a pesagem do 2º dia, a balança tinha registado uma descida de 600 grs o que eu achei maravilhoso tendo em conta que não tenho quase nada para perder.

 

14222117_1084136884995953_1138229648696415782_n.jp

Cá está o peso obtido após 1 dia de detox!

 

Entretanto, a meio da tarde as dores de cabeça foram-se intensificando. Também o atribuo ao facto de por cá estarem uns "agradáveis" 42ºC a meio da tarde. Estas dores ficarem bem bem mais intensas à noite o que me dificultou imenso no acto de adormecer que só o consegui já passava das 05h00 e ainda com uns 29ºC no meu quarto! Não há ventoínhas ou ar acondicionado portátil que nos salvem nestes dias.

 

A nível alimentar, o meu dia foi 100% a comer melão! Mas já explico o porquê de não ter havido sumo de vegetais neste 2º dia de detox!

 

14263995_1084136968329278_6737776346489658489_n.jp

Para começar e ainda em jejum, voltei a preparar um frasco com 1l de água alcalina e o sumo de 1 limão.

 

14237523_1084137021662606_3962751504479477362_n.jp

A minha primeira refeição do dia, teve esta maravilha como protagonista! Meio melão que era a doçura em forma de fruta!

 

14199721_1084136948329280_5430852474412224809_n.jp

Como sabia que teria pouco tempo para preparar refeições de tarde, após a hora do almoço preparei e cortei 1 melão que dividi entre estas 2 caixas e guardei no frigorífico. Nestes dias de alto calor, nada melhor que fruta bem fresca para nos refrescar e hidratas.

 

 

14291821_1084136938329281_4109900596928923851_n.jp

 

Refeição do meio da tarde

14192711_1084136928329282_3231857699506978195_n.jp

 Refeição do fim de tarde

 

Esta última refeição de melão que fiz, já era algo tarde tipo 19h30m pelo que com o calor que estava e com meio melão áquela hora, não tive mais apetite e portanto não bebi o sumo já que não faço refeições se não tiver apetite para isso. Esta foi então a razão pela qual não bebi o sumo de vegetais no 2º dia!

 

Resumindo, o 2º dia correu muito bem e o que se destacou mais foram mesmo as dores de cabeça que aguentei estoicamente sem tomar nada para as acalmar. A única coisa que fiz e que ajudou imenso a melhorar a dor, foi tomar um banho bastante fresco antes de me deitar.

 

3º dia aqui vamos nós!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Detox de Melão - 1º Dia

por Ancaje, em 05.09.16

 

VAEX1667.jpg

 

Este detox é brutal em termos de perda de volume, diminuição de retenção de líquidos, desintoxicação do organismo e de perda de peso e gordura! Já o fiz várias vezes. Afim de não me distrair com outros alimentos, preparo sempre um cantinho para os alimentos que são permitidos durante estes 3 dias!

 

 

Benefícios e objectivos a alcançar com este detox:

Desintoxica, Melhora e Trata problemas do Sistema Circulatório, Sistema Linfático, os Rins e Pele.

 

 

Melhorias notórias a nível:

 

Peso
Volume
Metabolismo acelerado
Limpeza a fundo do intestino
Limpeza dos rins
Aceleração do sistema linfático
Melhorias no aspecto da celulite
Melhorias do sistema digestivo
Boa disposição
Níveis de energia 

 

 

 

Então, nos 3 dias do detox a nossa alimentação será:

 

Em jejum: 1l de água com sumo de 1 ou ½ limão;

 

Pequeno-almoço: ½ melão maduro, no mínimo;

 

Almoço: ½ melão maduro, no mínimo;

 

Lanche: ½ melão maduro, no mínimo;

(se sentires fome entre estas refeições poderão comer mais melão)

 

Jantar: 1l de sumo de vegetais com os seguintes ingredientes: 6cm de gengibre em raíz, 1 beterraba, 10-12 cenouras e 4-5 pepinos OU 4-5 pepinos, 3-4 talos de aipo, 5cm de gengibre, 2 maçãs e 2 mãos de espinafres. Se não der 1l porque os vegetais poderão ser pequenos, juntem mais pepinos ou cenouras até fazer mesmo 1l.

 

 

Eu já fiz o meu 1º dia com o extra de ter feito ainda uma limpeza ao cólon e uma limpeza Gua Sha! Vamos ver este meu 1º dia em foto:

 

IMG_7677.JPG

 

Comecei o dia a pesar-me!

 

IMG_7533.JPG

Depois de me pesar, fui preparar a minha limpeza ao cólon!

 

O saco para enema que uso na minha limpeza e comprei na farmácia e ronda os 18 euros! Vale cada cêntimo sinceramente e pode salvar vidas!

IMG_7534.JPG

 

Penduramos o saco na janela e enchemo-lo com 2l de água mineral morninha

IMG_7536.JPG

 Preparamos no wc um sítio para podermos estar tranquilos e deitados, enquanto a água entra no nosso cólon. Devemos lubrificar a ponta do saco para não nos magoar. Deixamos a água entrar lentamente e podemos distrair-nos enquanto isso acontece com o telemóvel ou uma revista. O objectivo é aguentar a água o máximo de tempo dentro de nós. Esta limpeza deverá ser feita em jejum.

 

IMG_7546.JPG

Depois da limpeza ao cólon que concluí completamente em menos de 30 minutos, passei ao diche e preparei uma limpeza Gua Sha! Falei sobre ela aqui

 

IMG_7672.JPG

Após a limpeza Gua Sha convém apanhar sol e foi o que fiz!

 

 

IMG_7675.JPG

 Em jejum, preparei 1l de água com sumo de 1 limão!

 

IMG_7668.JPG

 Passamos então para a parte dos melões propriamente ditos do detox! Este foi o primeiro a ser aberto!

 

IMG_7667.JPG

A 1ª dose de meio melão, do dia

 

IMG_7666.JPG

2ª dose de meio melão 

 

IMG_7687.JPG

3ª dose de meio melão e última deste 1º dia - vou comendo melão à medida que tenho fome. Não há medidas nem limitações. Devemos comer melão sempre que temos apetite só isso!

 

IMG_7692.JPG

Ingredientes do sumo do jantar

 

IMG_7694.JPG

Aqui já tinha tudo descascado e lavado, pronto para ir para a centrifugadora (máquina que separa a polpa do sumo)

 

IMG_7697.JPG

E aqui está o sumo pronto a beber!

 

Este foi o meu 1º dia de detox e senti-me super bem, renovada e enérgica. Desta forma damos um descanso ao nosso sistema digestivo que se estará renovando nestes 3 dias de pausa que lhe vamos proporcionar. Estaremos a auto-regenerarmos e a deixar o nosso corpo descansar e a fazer auto-limpezas por dentro, daí o bem-estar que sentimos. A balança também será nossa amiga assim como o volume que se perde é animador! Eu após o 1º dia já perdi peso e só pesava 50kg porque quem pesa mais e quanto mais peso se tiver a perder, mais se vai perder também neste detox!

 

Quem se anima a fazer também? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

images.jpg

 

“Como é que regulo o meu peso?”; “Como é que elimino a rigidez e a dor?”; Como é que me vejo livre da doença x, y ou z de forma natural?”; “Como é que alcanço maior claridade mental, maior concentração e paz interna? – Não interessa quantos anos passamos neste estilo de vida, estas são sempre as questões que as pessoas colocam com mais frequência. Tudo começa pela desintoxicação. Tudo termina com a desintoxicação. Todos os problemas são eliminados através de desintoxicação. Tudo se resume a desintoxicação, desobstrução e hidratação através da melhor água estruturada que temos – a água presente na fruta e vegetais frescos e crus. Este é o solvente universal, que nos ajuda a eliminar os resíduos presos e toxinas, quer seja via rins (através da urina), ou via cólon (através das fezes). Se queremos melhorar rapidamente, além de incluir a fruta e vegetais em grandes quantidades, é necessário parar de comer todos os alimentos de origem animal e toda a comida refinada e processada, que é acídica e produz demasiado sedimento, obstrução e bloqueios no fluxo energético normal do corpo. Eliminando o consumo daquilo que cria todos estes problemas, simplesmente deixamos de alimentar a doença e mais cedo ou mais tarde, ela desaparece.

 

Tudo se resume a fazer uma transição dos produtos animais, comida refinada e extra processada com aditivos, corantes e conservantes, para uma alimentação 100% de origem vegetal, cozinhada de forma simples; e por fim, para uma alimentação 100% vegan, predominantemente crua. Quanto mais caminhamos em direcção a uma alimentação mais fresca e mais crua (fruta, vegetais, frutos secos e sementes demolhados), mais caminhamos em direcção a uma maior hidratação, maior eliminação e maior oxigenação das células – três elementos absolutamente necessários para a regeneração e cura. Quanto maior a hidratação, eliminação e oxigenação, automaticamente menor é a concentração de vírus, bactérias, fungos e parasitas capazes de sobreviver e proliferar no nosso organismo.

 

Maior hidratação, maior eliminação e maior oxigenação. Esta é provavelmente a principal razão que explica porque é que um bom protocolo de desintoxicação é composto por dois elementos – fruta e sumos de vegetais. Estas são as ferramentas principais para recuperar a saúde rapidamente. Usamos a fruta maioritariamente devido as suas propriedades adstringentes e antioxidantes. Os ácidos da fruta ajudam literalmente a «partir pedra» e a dissolver toda a placa, muco, calcificações, sedimento e outros resíduos que as pessoas hoje em dia acumulam nos seus estômagos, sistema linfático, artérias, coração, órgãos reprodutivos, área da cabeça, articulações...e na verdade, um pouco por todo o corpo. É isto que dá origem a rigidez, dor, inchaços, retenção de líquidos, inflamações, doenças, etc. Portanto, quando falamos em desintoxicar, estamos a falar simplesmente em desobstruir, dissolver e emulsionar os resíduos acumulados, por vezes durante toda uma vida (especialmente válido para quem passou toda uma vida a consumir alimentos não adequados do ponto de vista fisiológico para um ser vivo), o que torna a eliminação mais rápida e fácil. O que a fruta e sumos de vegetais fazem como nenhuma outra coisa é precisamente limpar o sistema digestivo (onde todos os problemas começam sempre); dissolver os depósitos e resíduos, soltando e deixando fluir o sistema linfático como é suposto. A linfa (que limpa as células daquilo que elas eliminam depois de alimentadas) é um fluído à base de água. Quanto mais rica em água for a nossa alimentação, mais fluída é a linfa e mais facilmente consegue fazer o seu trabalho de limpeza – é assim de simples. Por isso, com hidratação, uma maior oxigenação e uma eliminação mais eficaz começa todo um processo natural de limpeza e regeneração, que nos ajuda a aumentar os s níveis de energia, a eliminar bloqueios energéticos no corpo, e permitir que tudo fique a fluir sem problemas.

 

Infelizmente, a maior parte das pessoas nem chegam a sentir todos estes benefícios, porque mantêm uma alimentação com produtos que deixam muitos resíduos e sedimento, que desgastam os sistemas, mantêm os níveis de  energia baixos, criando obstrução, muco, inflamações e doenças. Sabendo onde está o problema, sabemos qual é a solução. Por isso, a eliminação de qualquer problema que chamamos de “doença”, resume-se a promoção da limpeza, desobstrução, eliminação, hidratação e oxigenação.

 

Vamos pensar também na parte mais estética, exterior, superficial, ou como quisermos chamá-lo. Temos um corpo com uma temperatura normal de 36.6ºC-36.8ºC. Agora no Verão basta passar umas quantas horas a assar ao sol para nos sentir ainda mais quentes. O que é que acontece num corpo com esta temperatura, quando dentro dele ainda se encontram resíduos de proteínas animais, leguminosas, gorduras cozinhadas e até mesmo um excesso de carboidratos cozinhados? Temos excesso de fermentação e putrefacção, o que cria cheiros desagradáveis. Transpirar e sentir odor desagradável; ter gases ou fezes com odor desagradável; por vezes a própria pele e ar à volta de algumas pessoas cheiram mal e pessoas com alimentação e corpos limpos por dentro conseguem sentir isso mesmo à distância. Tudo isto é o resultado da putrefacção que acontece no interior do corpo – putrefacção de alimentos anti-naturais, que demoram dias até serem totalmente digeridos, assimilados e eliminados. Por vezes, a fermentação acontece também devido a más combinações alimentares ou tempo insuficiente entre refeições.

 

A fruta e especialmente os sumos de vegetais ricos em clorofila ajudam imenso a eliminar todos estes resíduos, e simultaneamente a neutralizar o odor. Oxigénio, clorofila e minerais – uma garantia para sangue limpo, células limpas e uma pele naturalmente limpa e perfumada, sem necessidade de usar quaisquer cosméticos e perfumes. Uma alimentação rica e minerais é uma alimentação que vai manter a juventude, a frescura e a beleza durante mais tempo. Os minerais são os segredos de beleza na alimentação viva e natural. São o segredo para a saciedade, para a alimentação equilibrada e para uma vida sem excesso e sem comer compulsivo, porque são precisamente eles que nos trazem a calma, equilíbrio e enraizamento necessários para que isso possa acontecer. São, além disso, co-factores no funcionamento enzimático e devem estar presentes, para que o nosso corpo possa utilizar as vitaminas como é suposto. Os minerais devem estar presentes, para que as enzimas possam ser activadas e possam funcionar, o que por sua vez faz as nossas células funcionar no seu melhor e comunicar entre si. Sem minerais suficientes a nossa pele começa a ficar enrugada, o cabelo cai, os ossos perdem densidade, e basicamente, envelhecemos de forma prematura. Daí que os sumos de vegetais e saladas (que tanta gente não come em quantidades suficientes) são essenciais.

 

Pessoalmente, dediquei os últimos anos ao estudo dos processos de desintoxicação – como limpar o corpo, como alcançar um equilíbrio decente (vivendo da maneira como se vive hoje em dia), e ao mesmo tempo conciliar tudo isso com a desintoxicação emocional e mental, a libertação de vícios, dependências, relacionamentos tóxicos, etc – porque tudo isto influencia a nossa saúde a vários níveis. O que quero que toda a gente saiba é que todo este trabalho (nos vários níveis de saúde e nas várias áreas de vida) é necessário e é diário. Inicialmente implica fazer um esforço e implica bastante dedicação, até que um dia simplesmente se transforma num hábito, sem o qual não conseguimos viver. Tudo isto para dizer que os sorrisos nas nossas fotos são sempre reais e vêm sempre de dentro, mas isto não significa que todos os dias sejam igualmente fáceis, igualmente agradáveis e igualmente produtivos (porque eu e o João também temos objectivos de saúde, que continuamos a alcançar aos poucos). A desintoxicação é para sempre um processo contínuo – o que muda com o tempo é apenas a intensidade e o nível a partir do qual estamos a desintoxicar. A tendência com o tempo é de passar dos sintomas e obstruções puramente físicas para uma libertação que acontece cada vez mais a nível emocional e mental. Tudo isto é uma escolha diária. Andar para cima, andar para baixo ou permanecer no mesmo nível – diariamente cada um de nós faz essa escolha, quer tenha consciência disso ou não. O que aparece no nosso prato é apenas um dos reflexos dessa escolha diária. 

 

 

Fonte: www.vidaemestadocru.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

03dbe-bigstock-beauty-woman-beautiful-young-442816

 

 

1) Como ter uma pele, cabelo, unhas e visão saudáveis?

A pele, cabelo, unhas e visão são as áreas do corpo onde as pessoas costumam notar os primeiros sinais de desequilíbrios no corpo, ou de envelhecimento prematuro. O que podemos fazer para prevenir ou até mesmo para reverter esta situação? Resumindo tudo numa frase, diria que temos que prestar mais atenção a alimentação, hidratação, exercício, respiração e descanso. A grande maioria de pessoas come mal, tem défices de minerais, habitua-se a viver desidratada durante décadas, mexe-se muito pouco, respira muito superficialmente e não descansa o suficiente. Portanto, é preciso introduzir mudanças significativas em todas estas áreas, e só depois disso esperar resultados positivos. Muitos pensam que o estado da pele, cabelo e unhas depende dos produtos que colocamos por fora, e é por isso mesmo que andam sempre à procura dos últimos gritos da moda na área dos cosméticos para alcançar isso. Pela minha experiência, isto não podia estar mais longe da verdade. Problemas, cujas verdadeiras causas são internas, não se eliminam com soluções externas – é tão simples quanto isso. Podemos notar alguma melhoria temporária enquanto usamos o produto, mas assim que paramos de o fazer ou assim que o efeito inicial passa e nos habituamos à fórmula e aos ingredientes, voltamos exactamente ao mesmo ponto de onde começamos. Uma alimentação predominantemente crua, uma abundância de sumos de vegetais, Yoga, técnicas de respiração e contacto com a natureza são provavelmente as 5 coisas que mais vezes repito no diário (e não só) e isto não é por acaso – quem segue este caminho descobre rapidamente que de facto são as coisas que mais ajudam a manter a juventude, a vitalidade e a boa visão durante mais tempo! Porquê? Porque nos permitem manter uma boa circulação, boa oxigenação e boa ingestão de minerais e enzimas. Porque é que a partir dos 30 anos muitas pessoas começam a ficar claramente envelhecidas? Porque não fazem as coisas acima descritas, e porque infelizmente o nosso corpo aguenta até uma certa altura...a partir daí começa a degradar-se rapidamente. Eu duvido que alguém consiga manter uma boa saúde e vitalidade sem minerais e sem enzimas suficientes na sua alimentação, e acontece que só obtemos isso dos alimentos crus. Claro, nós também produzimos enzimas, mas até um certo momento – a partir daí começamos unicamente a gastar as nossas reservas e muitos especialistas na área do Yoga e naturopatia afirmam com frequência que morremos assim que gastamos essas reservas de enzimas (se antes disso não morrermos por outra doença, claro). Resumindo e concluindo, depende inteiramente de nós ter uma alimentação rica em enzimas e não envelhecer de forma prematura, porque muito disso passa pela alimentação e por hábitos de vida muito simples, mas muito poderosos, quando praticados com regularidade.

 

 

2) Adianta ter uma alimentação vegan ou crudívora, mas continuar a fumar e/ou beber álcool?

Adianta sempre, eu simplesmente não acredito que alguém consiga (fisicamente) ser 100% vegan, e muito menos 100% crudívoro, e ainda assim manter o hábito de fumar e de beber álcool – são três coisas incompatíveis. Há muita gente que tenta ter uma alimentação vegan, mas ainda come produtos animais (mesmo que com pouca frequência) ou comida refinada e processada, que contém sempre algum tipo de vestígios de produtos animais. Acredito que pessoas com este tipo de hábitos alimentares consigam manter o consumo de álcool e tabaco por tempos indefinidos. Assim que de facto nos tornamos 100% veganos (sem excepções) e mantemos isso durante alguns meses, chega sempre o ponto em que ganhamos uma verdadeira aversão a coisas como tabaco e álcool. E quando me refiro a aversão, refiro-me a situações em que alguém decide beber uma única bebida ou fumar um único cigarro passados meses de não ter bebido álcool e de não ter fumado tabaco, e muitas vezes as pessoas referem que se sentiram realmente mal e fisicamente doentes. É isto que acontece naturalmente assim que deixamos o corpo mais limpo por dentro. “Mas muito de vez em quando apetece-me mesmo um cocktail ou até mesmo um copo de vinho...é um impulso.” – dizem algumas pessoas. O álcool é apenas mais uma coisa que as pessoas usam para se acalmar, para se distrair, para relaxar, e acima de tudo, para preencher falhas nutricionais. Quando “apetece mesmo muito beber um cocktail ou um copo de vinho”, na verdade o corpo está a pedir açúcar. A vontade não é por álcool, é por carboidratos! As pessoas simplesmente não estão a receber e a interpretar bem a mensagem. Parar de fumar e de beber começa com uma alimentação equilibrada e uma ingestão calórica suficiente, mas também depende do quão bem aprendemos a canalizar certas emoções e lidar com elas sem ser através do tabaco e álcool. Os tempos difíceis voltam sempre, e se nessa altura estamos a comer tudo 100% de origem vegetal e predominantemente cru, mais vale estar preparado para sentir profundamente e com intensidade tudo o que vem à superfície, porque é isso mesmo que acontece quando não adormecemos os nossos corpos com outras drogas. Por isso, para quem precisa de deixar de fumar, deixar de beber e melhorar os seus hábitos alimentares, eu recomendo fazer tudo isso ao mesmo tempo. Quanto chegamos a este ponto simplesmente não existe caminho fácil. Contudo, este é o caminho mais eficaz e que realmente produz os resultados que as pessoas procuram obter. Só depois de nos libertar deles percebemos claramente o quão tóxicos são certos hábitos para o nosso corpo, e conseguimos ver claramente que de nada adianta pensar em implementar uma alimentação muito alcalina, se ao mesmo tempo continuamos a manter hábitos como fumar e beber. Isto é literalmente como abrir a torneira da água alcalina de um lado, e deitar puro ácido pelo outro lado – nada feito. Contudo, vejo que para muitas pessoas torna-se muito mais fácil abdicar do álcool e tabaco quando realmente se empenham a 100% na implementação de uma alimentação 100% vegan, predominantemente crua. Nunca é má ideia começar por aqui e confiar que quanto mais limpo ficar o corpo (pelo menos a nível alimentar) menos vai começar a tolerar outros hábitos nocivos como o tabaco e álcool.

 

3) Como facilitar o consumo de vegetais de folhas verdes?

Este é um dos maiores problemas que encontro nos acompanhamentos que faço – as pessoas têm uma enorme dificuldade em comer boas quantidades de vegetais (incluindo os de folhas verdes). Para além das saladas, que são quase sempre um mini-acompanhamento da comida cozinhada principal (em vez de ser precisamente o contrário), normalmente a gente que acompanho come algo de sopa, algo de vegetais salteados/cozinhados de alguma forma e fica por aí, sem mencionar que alguns não comem vegetais nunca. Escusado será dizer que isto é extremamente insuficiente e que a longo prazo cria desequilíbrios que notamos no aspecto físico (pele, cabelo, unhas), na forma como envelhecemos, na visão, na saciedade e vontade de comer certos alimentos mais refinados e processados. Muitos problemas hoje em dia têm na sua origem os défices de minerais. E por norma, quando transitam para a alimentação vegan ou crua, inicialmente as pessoas detestam os vegetais – não conseguem comer as saladas e nem tocam nos sumos de vegetais. Daí ser tão importante falar sobre formas que permitem incluir os vegetais na alimentação e com sorte torná-los mais deliciosos até para os paladares mais sobre-estimulados.

Ø Bons molhos para saladas – Com o tempo descobri que inicialmente, muitos não gostam do sabor dos vegetais, mas até comem as saladas se estas tiverem um bom molho. Há muitas maneiras de preparar excelentes molhos para salada sem usar qualquer tipo de óleos – recorrendo unicamente a sementes/ frutos secos/ abacates, curgetes, limão, ervas aromáticas, limão e outros citrinos, etc., misturando tudo no liquidificador. Normalmente quanto mais no início da transição estiver alguém, mais aprecia os molhos mais cremosos e densos – portanto usar algo como nozes ou outras sementes, misturadas com sumo de limão, sumo de citrinos e ervas aromáticas funciona mesmo muito bem.

Ø Batidos verdes – Quem tem dificuldade em consumir vegetais de folhas verdes precisa mesmo de apostar nos batidos verdes, que combinam fruta, verduras e/ou ervas aromáticas frescas, e água – tudo desfeito no liquidificador. O sabor dos vegetais passa completamente despercebido e normalmente este é o primeiro passo que funciona mesmo bem com toda a gente.

Ø Com sopas/cremes vegetais, estufados e molhos – É mesmo muito fácil usar folhas um pouco mais firmes de vegetais de folhas verdes (como são por exemplo as folhas da alface romana) e usá-las literalmente como colher para comer alimentos cozinhados de origem vegetal ou então molhos espessos 100% crus. É simples, é sempre benéfico acompanhar o prato cozinhado com folhas frescas, e assim simplificamos as coisas e nem precisamos de preparar uma salada elaborada.

 

Fonte: Vitaliza

Autoria e outros dados (tags, etc)

37771_289802171119815_467105435_n.jpg

 


Existem cada vez mais adolescentes e cada vez mais pais com bebés e crianças pequenas interessados na alimentação vegetariana, vegan e crudívora. Contudo, até as pessoas que fazem esta escolha alimentar para si, de certa forma mostram algumas preocupações na hora de alimentar assim os seus filhos, e o receio mais comum é que a alimentação vegan não seja suficiente para garantir um crescimento e desenvolvimento cerebral normal. Até aqui entendo perfeitamente – afinal qualquer pai quer o melhor para os seus filhos, daí as preocupações. Talvez algumas delas fossem válidas há alguns anos, pelo simples facto de que pouco ou nada se falava naquela altura sobre a alimentação de origem vegetal. Contudo, hoje em dia estamos a nadar num oceano de informação e nada disto faz sentido neste momento. Nos últimos anos temos tido grandes progressos e a alimentação de origem vegetal equilibrada e variada tem sido alvo de cada vez mais estudos e discussões. Já tivemos estudos científicos de Univerisdades com grande reputação a nível mundial, que não tinham resultados nada favoráveis ao consumo de lacticínios. A Organização Mundial da Saúde já fez vários comunicados que relacionavam o consumo de doses mínimas de carnes e o aparecimento de cancros. A Direcção-Geral da Saúde em Portugal publicou um manual sobre a alimentação vegetariana na infância, que os pais podem imprimir e levar para as escolas e infantários. A própria Associação Americana de Dietética publicou um estudo científico (chamado Position os the American Dietetic Association: vegetarian diets), no qual podemos ler que “as dietas vegetarianas equilibradas e apropriadamente planeadas (incluindo a alimentação totalmente vegetariana ou totalmente vegan) são saudáveis, adequadas do ponto de vista nutricional e podem ser benéficas na prevenção e tratamento de algumas doenças. As dietas vegetarianas bem planeadas são adequadas para indivíduos em todas as fases de vida, incluindo gravidez, amamentação, primeira infância, adolescência e atletas”.

Cada vez mais, vemos estas ideias validadas pela ciência, validadas por adultos que comem desta forma, e inclusivamente por pais, que alimentam assim os seus filhos desde o nascimento. Já temos gerações que nunca provaram o sabor dos produtos animais. Já temos pessoas que neste momento estão nos seus sessentas e setentas, e são veganos ou crudivoros há 30 e até 40 anos – em perfeita saúde e forma física longe daquilo que estamos habituados a ver na terceira idade. Tudo isto é real e também tem a sua validade.

Provavelmente uma das grandes preocupações das pessoas quanto à alimentação e crescimento dos seus filhos prende-se com o consumo de cálcio. Infelizmente, ainda temos muitas pessoas que acreditam que a úica maneira de obter boas quantidades de cálcio é ao beber leite de vaca e consumir os seus derivados, o que simplesmente não é verdade.

 

Temos excelentes fontes vegetais de cálcio, muito mais facilmente digeridas e assimiladas, tais como:

 

- vegetais de folhas verdes

- frutos secos

- sementes

- leguminosas

- leites vegetais

 

Se tudo o que se diz sobre o cálcio hoje em dia realmente fosse verdade, os países com consumo mais elevado de cálcio teriam menos problemas ósseos e o que se observa é precisamente o oposto. Quanto maior o consumo de leite animal e derivados do leite, mais são os casos de osteoporose e outras doenças cronicas e inflamatórias. Obter boas quantidades de cálcio é muito facilmente alcançável com uma alimentação vegan e até mesmo crudívora, variada e equilibrada. O que a ciência nos mostra em termos de dados concretos é que os rapazes vegetarianos crescem em média com 2,5cm e as raparigas vegetarianas com 2cm mais altos, em comparação com os seus companheiros que se alimentam com produtos animais. Vários outros estudos com vegetarianos e veganos mostram de forma consistente que as crianças vegetarianas crescem pelo menos tanto (ou mais) que as crianças com alimentação convencional, portanto, para quem ainda se guia por estes critérios para escolher o que a sua família deve ou não comer, penso que realmente não há motivos de preocupação quanto ao crescimento e desenvolvimento dos filhos. Tudo se resume a criar uma alimentação variada, abundante e simplesmente desfrutar dos benefícios da alimentação de origem vegetal.

 

Fonte: vidaemestadocru

Autoria e outros dados (tags, etc)


Em que é que o stress nos influencia?

por Ancaje, em 21.07.16

0-DSC_2987.JPG


Toda a gente sabe que o stress é mau para o nosso corpo. Toda a gente sente que este nos enfraquece e envelhece prematuramente...mas como é que isto acontece exactamente?

O stress desgasta progressivamente as glândulas adrenais – as mesmas, que como já sabemos são o pilar do nosso bem-estar e nas quais devemos focar-nos em primeiro lugar, sempre que aparecem problemas. O ser humano tem anatomia de fisiologia de um frugívoro...mas vive como omnívoro (e por vezes até carnívoro). A produção de adrenalina e noradrenalina pelas glândulas adrenais tinha a função inicial de nos proteger e fazer reagir a potenciais perigos. Contudo, com o stress permanente em que alguns vivem, estas glândulas estão a funcionar a ritmos que apenas trazem mais nervosismo, fadiga crónica, falta de energia, problemas de peso e problemas de saúde. As glândulas adrenais são também o nosso centro emocional, que fica particularmente afectado quando lidamos com relacionamentos problemáticos e infelizes; tensão e pressão no local de trabalho, ambientes altamente competitivos ou perda de pessoas importantes. Por vezes, eventos deste tipo são suficientes para transformar tendências para problemas adrenais ou uma fraqueza adrenal real, num bloqueio total. Se juntarmos à isso uma alimentação inadequada, os problemas são quase garantidos.

 

Para além da produção de hormonas e neurotransmissores, as glândulas adrenais são responsáveis pela regulação do funcionamento renal, sendo que tanto as adrenais como os rins são fundamentais para:

 

- manter a inflamação longe da nossa vida;

- garantir que os intestinos estão a funcionar devidamente

- garantir bons níveis de energia

- criar humor positivo

- manter o sistema nervoso a funcionar como deve ser

- facilitar a utilização de minerais, e muito mais.

 

Quando algo nesta cadeia começa a falhar e o funcionamento renal e adrenal são afectados, mais cedo ou mais tarde começamos a lidar com problemas (fadiga crónica, falta de energia, problemas de peso não relacionados com a alimentação, problemas de sono, artrite, tumores, diabetes, cancros, obstipação, problemas dermatológicos, problemas neurológicos, doenças auto-imunes, e mais).Portanto, quer seja como prevenção ou tratamento, é fundamental viver uma vida com o mínimo de stress. E como é que fazemos isso se por exemplo temos um emprego que nos obriga a trabalhar 15h por dia, a dormir pouco e a cuidar de vários filhos? No mínimo, é preciso reorganizar as prioridades e ter também alguns momentos calmos para contrabalançar o resto do dia-a-dia stressante; manter uma alimentação predominantemente crua e tentar passar cada momento livre fora de casa, num sítio verde, calmo e longe das tecnologias, televisão e Internet. Aqui estão sete coisas que acontecem sempre que começamos a passar mais tempo na natureza:

 

- Melhoramos o humor
- Reduzimos inflamação
- Normalizamos a pressão arterial
- Aumentamos os níveis de energia
- Aliviamos rigidez, tensão muscular e dores de cabeça
- Melhoramos a qualidade do sono
- Reduzimos dor crónica

 

 

Vale a pena pensar no assunto e reflectir bem naquilo que andamos a fazer com o nosso tempo no dia a dia. Dispender mais tempo para conectarmos connosco mesmos e com a natureza é de facto ganhar anos de vida e de saúde!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sigam também pelo INSTAGRAM

Instagram

BIKINI BODY GUIDE - Kayla Itsines










Este blog está protegido por direitos de autor

Se quiser levar alguma foto, por favor entre em contacto primeiro para a devida autorização.


Calendário

Novembro 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930